sábado, 3 de abril de 2010

Divisão Regional do Brasil

República Federativa do Brasil, com 26 estados e l Distrito Federal, nosso país teve outros sistemas de organização político-administrativa: capitanias hereditárias (1534-1548), governo-geral (1549-1808), vice-reino (1808-1822), monarquia (1822-1889) e república (de 1889 até hoje).
Desde a década de 1940 existe um centro de estudos e pesquisa especializado em "descobrir" nosso país, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Recentemente, acompanhamos a divulgação pela mídia de que o Brasil ultrapassou os 169 milhões de habitantes.
Essas informações e outras, como. por exemplo, sobre desempenho econômico ou mortalidade infantil, são de responsabilidade do IBGE.

O IBGE e a divisão regional do Brasil

Foi com o objetivo de conhecer o território nacional e os dados estatísticos da população brasileira que Getúlio Vargas fundou o IBGE em 1938. Para realizar essa tarefa, era preciso considerar as grandes diferenças existentes entre as diversas áreas do país. Dessa forma, entre 1941 e 1945 foram feitas as duas primeiras divisões regionais do Brasil, baseadas no critério de região natural. Compreende-se por região natural uma determinada área geográfica que passa a ser caracterizada segundo um ou mais aspectos naturais, como o clima, o relevo ou a vegetação, Veja como o IBGE dividiu inicialmente o Brasil.
Apenas em 1969, o IBGE elaborou uma nova divisão regional, adorando dessa vez o critério de regiões homogêneas. O conceito de região homogênea é mais abrangente do que o de região natural, pois vai além dos aspectos criados pela natureza, E definido pelo conjunto de elementos naturais, sociais e econômicos da região.
A principal modificação em relação à divisão anterior foi a criação da região Sudeste, em virtude da cristalização dessa área como o "coração econômico do país". A divisão regional de 1969 continua vigorando, apesar de a Constituição de 1988 ter aprovado algumas modificações; os territórios de Roraima c do Amapá foram transformados em estados; Fernando de Noronha foi anexado ao estado de Pernambuco; o estado de Tocantins foi desmembrado do estado de Goiás e incorporado à região Norte.
A divisão atual do Brasil compreende 27 unidades político administrativas, sendo 26 estados e o Distrito Federal.

O Brasil é formado por cinco diferentes regiões: Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Sudeste. A região Sudeste é a mais populosa e desenvolvida, e é onde está situada as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. O nordeste é turisticamente conhecido por suas praias, e possui duas grandes cidades: Salvador e Recife. Historicamente a região Nordeste foi a mais rica, exportando cana-de-açúcar e madeira (principalmente o pau-brasil). A região Norte é a menos desenvolvida e populosa de todas, e onde está situada a Floresta Amazônica, conhecida mundialmente por sua extensão e grande quantidade de rios. Suas cidades mais importantes são: Manaus e Belém. A Região Centro-Oeste abriga a cidade de Brasília, capital do país, que foi construída na década de 60 pelo presidente Juscelino Kubitchek, e projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer. A região sul é marcada pela imigração italiana e alemão (principalmente), possui diversas cidades com grande influência da cultura desses países europeus. Possui apenas três estados, e as três capitais são cidades importantes: Porto Alegre no Rio Grande do Sul, Florianópolis em Santa Catarina e Curitiba no Paraná.

Estados e Capitais

Região Norte
• Amapá – AP (Capital:Macapa)
• Acre - AC (Capital:Rio Branco)
• Roraima - RR (Capital:Boa Vista)
• Rondônia – RO (Capital:Porto Velho)
• Amazonas – AM (Capital:Manaus)
• Pará - PA (Capital:Belem)
• Tocantins - TO (Capital:Palmas)

Região Nordeste
• Bahia - BA(Capital:Salvador)
• Sergipe - SE (Capital:Aracaju)
• Alagoas - AL (Capital:Maceió)
• Paraíba - PB (Capital:João Pessoa)
• Pernambuco - PE(Capital:Recife)
• Rio Grande do Norte – RN (Capital:Natal)
• Maranhão - MA (Capital:São Luis)
• Piauí - PI (Capital:Teresina)
• Ceará - CE (Capital:Fortaleza)

Região Centro-Oeste
• Goiás - GO (Capital:Goiania)
• Mato Grosso - MT (Capital:Cuiabá)
• Mato Grosso do Sul - MS (Capital:Campo Grande)
• Distrito Federal - DF

Região Sudeste
• São Paulo - SP(Capital:São Paulo)
• Rio de Janeiro - RJ (Capital:Rio de Janeiro)
• Espírito Santo -ES (Capital:Vitória)
• Minas Gerais - MG (Capital:Belo Horizonte)

Região Sul
• Paraná - PR(Capital:Curitiba)
• Rio Grande do Sul – RS (Capital:Porto Alegre)
• Santa Catarina – SC (Capital:Florianópolis).

Censos Demográficos

Os censos populacionais produzem informações imprescindíveis para a definição de políticas públicas e a tomada de decisões de investimento, sejam eles provenientes da iniciativa privada ou de qualquer nível de governo, e constituem a única fonte de referência sobre a situação de vida da população nos municípios e em seus recortes internos, como distritos, bairros e localidades, rurais ou urbanas, cujas realidades dependem de seus resultados para serem conhecidas e terem seus dados atualizados.
A realização de um levantamento como o Censo Demográfico 2000 representa o desafio mais importante para um instituto de estatística, sobretudo em um país de dimensões continentais como o Brasil, com 8 514 215,3 km2, composto por 27 Unidades da Federação e 5 507 municípios existentes na data de referência da pesquisa, abrangendo um total de 54 265 618 de domicílios pesquisados.
Para garantir a confiabilidade de seus resultados e alcançar os melhores níveis de qualidade e transparência em todas as etapas de execução do Censo 2000, foram utilizadas modernas tecnologias, como o mapeamento digital dos municípios com mais de 25 mil habitantes, escaneamento e leitura ótica dos questionários, controles gerencial e operacional via Internet, entre outras inovações tecnológicas que possibilitaram aos usuários dos dados censitários e à sociedade, em geral, o acompanhamento de cada etapa da operação e o acesso aos resultados em curto prazo, por meio das mais modernas mídias de comunicação e disseminação de informações.
O IBGE, no esforço de atender às diversificadas expectativas de seus usuários e com a incorporação de modernas tecnologias de informação na disseminação de suas pesquisas, oferece ao público um conjunto amplo de alternativas que contribuem para a maximização do uso dos resultados do Censo 2000, que vão desde esta tradicional publicação impressa, dividida em duas partes devidamente complementada por um CD-ROM e, DVDs que contêm a menor unidade de informação - os microdados. Foram aperfeiçoadas e estão disponíveis ferramentas digitais, como o Estatcart - um sistema de exploração de dados georreferenciados, que oferece visualização em diversos níveis geográficos (estados, municípios, distritos e setores censitários); os bancos de dados acessáveis via Internet, como o Sistema de Recuperação de Dados Agregados - SIDRA - que possibilita a recuperação de centenas de tabelas, e o Banco Multidimensional Estatístico que se situa na fronteira tecnológica, permitindo o cruzamento de informações a partir dos microdados em múltiplas dimensões; e ainda um Servidor de Mapas, que possibilita visualizar áreas e agregar informações, funcionando como um facilitador em estudos que utilizam em suas análises a dimensão espacial.
Esta publicação apresenta as tabulações consideradas mais relevantes dos dados pesquisados no Questionário da amostra. Ao longo do ano de 2003, serão produzidas novas tabulações por temas, apresentando mais cruzamentos e assim distribuídos: Características Gerais da População, Educação, Trabalho e Rendimento, Migração e Deslocamento, Nupcialidade e Fecundidade e Famílias e Domicílios.

15 comentários:

  1. eu aida nao terminei de ler mas ate aonde eu li achei muito legal

    ResponderExcluir
  2. sabe de uma coisa tô presisando fazer um trabalho sobre ese asusnto* e o que eu li nao tem nada a ver *-*

    ResponderExcluir
  3. Noss to presisando fazer um trabalho sobre esse assunto e aqui nao achei nada :(

    ResponderExcluir
  4. Presiso fazer um trabalho de geografia e tem q ter as diuvisoes regionais desde o brasil colonia ate repulblica e aki so tem essas coisas sobre IBGE.

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo comentário, "Postar um comentário" Tem gente que não gosta ou não cabe ao que se propõe, e critica ainda com erros grosseiros de português. Se não gostou vá ler Tio Patinhas. ou procure outro site, é tão abrangente esta internet, que não precisa ficar lendo o que não lhe interessa, passe pra frente,tá se achando, vai numa biblioteca e procura uma coleção que lhe sirva, sente numa cadeira e cruze os braços e leia, leia muito. Só querem copiar e colar, Vai copiar, colar seu diploma também, seu emprego, o futuro te espera.

    ResponderExcluir
  6. Obrigado! Gostei do exposto. Hoje na internet esta mais fácil, pois se torna mais rápido e muitos artigos são excelentes. Se você procura, sempre encontra algo útil. Tem muitas opções de escolha, e cada um lê ou opta por artigos condizentes com a sua pesquisa, ou trabalho que deseja concluir.

    ResponderExcluir
  7. Obrigado pelo artigo. Gostei, sempre se tira algum proveito para quem está pesquisando. Pode servir para mim ou qualquer pessoa. Tudo depende da pesquisa que se faz, ou apenas para conhecimento. A internet é ótima por isto, tem assuntos dos mais variados, embora muita coisa inútil, infelizmente. Mas o importante está nas pessoas de bem, em proporcionar cultura a seus semelhantes. Valeu mestre.

    ResponderExcluir
  8. obrigada pelo material, e bem explicativo e claro
    e so vem a somar, aos que querem um trabalho completo, auxilia, so que nao podemos nos acomodar, e precisamos sempre buscar mais.
    valeu abraços mara

    ResponderExcluir
  9. ADOREI.VC É MUITO BOM.SERVIU PARA AUMENTAR MEU APRENDIZADO SOBRE O ASSUNTO.PARABÉNS.

    ResponderExcluir
  10. EU ADOREI O TRABALHO QUE VOCÊ FEZ.COM ISSO EU VOU TIRAR A NOTA MAXIMA NO TRABALHO DE GEOGRAFIA.

    VOCÊ ESTA DE PARABÉNS.

    ResponderExcluir
  11. valeu por min ajudar nesse trabalho
    kkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  12. Muito Bom esse site....Assim muita gente fica nerd ,com esse texto .Muito Bom

    ResponderExcluir

Fique a vontade para comentar. Você tem o direito de gostar ou não e de concordar ou não com nossas postagens, por isso antes de escrever palavrões tenha atitudes mais inteligentes: procure outro blog, faça um se és capaz ou vai tratar das tuas frustrações.