sábado, 3 de abril de 2010

Ecossistemas Brasileiros

Amazônia

A Amazônia representa a área aos maiores ecossistemas brasileiros, Aí está a maior floresta do mundo, que avança sobre outros sete países (Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela) e a Guiana Francesa, na América do Sul. Equivale a 35% das áreas florestais do planeta. A maior parte da Amazônia é composta de formação vegetal latifoliada (de folhas largas), que apresenta as seguintes características:
- perene: permanentemente verde, nunca perde as folhas.
- heterogênea; constituída de várias espécies.
- densa: fechada.
- higrófíla: várias espécies vivem em ambientes úmidos.
- A maior parte (mais de 7 5%) se encontra em mata de terra firme.
- As demais áreas estão em mata de várzea (pode alagar na época das chuvas) e em mata de igapó (permanentemente alagada).
Esses ecossistemas, que correspondem ao predomínio do clima equatorial úmido, são um dos locais mais chuvosos do planeta. Localizados em relevo de baixas altitudes, apresentam solos com baixos índices de nutrientes. E marcante a presença de rios e grande a biodiversidade, pois todos esses elementos estão diretamente associados e são interdependentes.
As queimadas para abertura de pastos, os desmatamentos para retirada de madeira e a mineração são os principais impactos provocados pela ação humana na Amazônia.

Mata Atlântica

Originalmente estendia-se por toda a faixa costeira; do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul, Hoje, segundo as estatísticas mais alarmantes, recobre apenas 7% do território brasileiro. A área original da Mata Atlântica corresponde ao espaço natural que foi mais Devastado pela intensa urbanização e industrialização que ocorreram no Brasil Apresenta-se como uma formação vegetal latifoliada (de folhas largas), correspondendo a uma floresta tropical com as seguintes características: é perene, heterogênea, densa, higrófila e predomina sobre terra firme. Apesar da semelhança com os ecossistemas amazônicos, encontraremos algumas diferenças, como o fato de se localizar em um relevo montanhoso (serra do Mar e serra da Mantiqueira) e apresentar a maior biodiversidade do mundo (a grande amplitude térmica favorece uma maior biodiversidade do que a encontrada na Amazônia).
Esse ecossistema corresponde aos climas tropical litorâneo úmido (na faixa litorânea nordestina), tropical de altitude (no Sudeste) e subtropical úido (no Sul). Rios importantes, como o Paraíba, Paraíba do Sul, Doce e Jequitinhonha, drenam seus domínios.

Caatinga

Ocupa cerca de 11% do território brasileiro, predominando no Sertão nordestino (abrange mais de 70% da região Nordeste). Enquadra-se nas formações arbustivas, isto é, apresentam árvores pequenas e baixos arbustos espaçados, onde é comum a presença de cactáceas. Por estar estritamente associada ao clima tropical semi-árido, a caatinga é definida pela ausência de água, apresentando espécies xerófitas. Nesse ecossistema, portanto, teremos uma vegetação adaptada para se proteger da falta de água com a perda das folhas, que diminui a evaporação, ou raízes profundas e ramificadas, que procuram água durante as chuvas. Seus solos são áridos, pouco profundos e pedregosos.
A escassez das chuvas (menor índice pluviométrico brasileiro), rios Temporários (que secam durante as prolongadas secas), relevo formado por depressões e planaltos, rica fauna (calango, cascavel, preá) e flora (mandacaru, juazeiro, xiquexique) compõem esse ecossistema que vem sendo agredido ao sofrer o impacto da irrigação, drenagem, criação de pastos, latifúndios e da desertificação.

Cerrado

O cerrado é o segundo ecossistema mais extenso do Brasil, superado apenas pelo amazônico.
Originalmente ocupava cerca de 2l% do território brasileiro, distribuído entre as regiões Centro-Oeste (onde é predominante), Nordeste e Sudeste.A vegetação do cerrado está associada ao clima tropical típico e caracteriza-se pela associação de formações vegetais diferentes: pequenas árvores retorcidas e arbustos em seu estrato superior misturam-se à vegetação rala e rasteira composta de gramíneas em seu estrato inferior. Apresenta diversos aspectos. O cerrado corresponde à vegetação das savanas. Estende-se por variadas formas de relevo, que vão de depressões e chapadas sedimentares (como a dos Guimarães, no Mato Grosso) aos planaltos. Seu solo é ácido, por isso precisa de correção para uso agrícola, mas é muito aproveitado para o cultivo da soja em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, e do café em Minas Gerais, Possui uma rica fauna (ema, coruja) e uma variada flora (palmeiras, pequizeiro). E uma área drenada por importantes rios das bacias Platina, do São Francisco e do Tocantins.
A expansão agropecuária, os garimpes, a construção de rodovias e de cidades, como Brasília e Goiânia, são os principais impactos provocados pela ação humana, que reduziram esse ecossistema a pequenas manchas distribuídas por alguns estados brasileiros.
O cerrado foi declarado "Sítio do Patrimônio Mundial" pela Unesco em 13 de dezembro de 2001.

Pantanal

Encontra-se na região Centro-Oeste, distribuído entre os estados do Mato Grosso do Sul (onde predomina) e do Mato Grosso. Apresenta-se como uma formação vegetal complexa, pois reúne espécies de quase todos os ecossistemas brasileiros, como os cerrados, as florestas e a caatinga.
A vegetação não é homogênea no Pantanal.
Podemos considerar três regiões distintas nesse ecossistema, de acordo com a altitude:
- As regiões mais baixas, onde predominam gramíneas formadas por planícies, estão permanentemente alagadas.
- As áreas que são inundadas na ocasião das cheias formam um verdadeiro mar interior, o mar de Xaraés.A vegetação nessas áreas é formada por árvores de porte médio, arbustos e plantas rasteiras.
Podem ser encontradas árvores como o angico, o ipê e a aroeira.
- As áreas mais altas estão sempre livres das inundações, possuem uma variada flora onde podemos destacar plantas aquáticas, palmeiras, mandacaru e figueiras.
A hidrografia desse ecossistema é representada pela bacia do rio Paraguai, formada por esse rio principal e seus afluentes - Miranda, Coxim, Taquari e Apa -, entre outros.
A variada e colorida fauna do Pantanal compreende répteis, peixes, aves, mamíferos e insetos.
Segundo a Embrapa, o Pantanal abriga 656 espécies de aves, 95 espécies de mamíferos, 35 espécies de anfíbios. Sua "população" de jacarés é estimada em cerca de 32 milhões de indivíduos. Dentre as aves, podemos destacar o tuiuiú (ave-símbolo da região), a arara-azul, o maçarico, a garça, os colhereiros c muitos outros. A onça-pintada, o tamanduá-bandeira, o lobo-guará são espécies de mamíferos ameaçadas de extinção, no Pantanal.
Com importantes rios e uma das maiores biodiversidades do planeta, o Pantanal é uma das maravilhas naturais do mundo, nomeado "Reserva Mundial da Biosfera"pela Unesco, A agropecuária, as rodovias e os garimpes são os principais impactos ambientais responsáveis pela destruição do ecossistema pantaneiro.

Mata de Araucária

Classificada como floresta aciculifoliada, a Mata de Araucária, ou Pinheirais, ocupava as áreas de maior altitude da região Sul, principalmente no estado do Paraná.
Formação vegetal aberta e espaçada, possui poucas espécies vegetais, com predomínio de pinheiros que aparecem associados à canela, imbuía, erva-mate e cedro. O clima típico da floresta de araucária é subtropical com estações do ano bem definidas. Além da pequena diversidade vegetal, sua fauna compõe-se de algumas espécies de roedores, insetos e aves.
Do ponto de vista geomorfológico, ocupa a área dos planaltos e chapadas da bacia do Paraná, por onde correm tributários desse rio.
Calcula-se que apenas 5% da área original dos Pinheirais esteja preservada. A retirada da madeira, para a produção de móveis e papel de jornal, c a agropecuária são os principais fatores de sua devastação acentuada.

Mata dos Cocais

Abrange predominantemente os estados do Maranhão e Piauí (Meio-Norte), mas distribui-se também pelo Ceará, Rio Grande do Norte e Tocantins. Está numa zona de transição entre os ecossistemas da Amazônia e da caatinga. E classificada como uma formação florestal, mas, na realidade, constitui uma formação vegetal secundária, por seu acentuado desmatamento, Nesse ecossistema predominam dois tipos de palmeira muito importantes para a economia local:
- Babaçu, de cuja amêndoa se extrai o óleo; as folhas são usadas para a cobertura de casas e o palmito, como alimento, Um rico artesanato emprega suas fibras para confeccionar esteiras, cestos e bolsas. Da casca do coco, podem ser retira dos o alcatrão e o acetato.
- Carnaúba, cujo produto mais conhecido e a cera. Como tudo dessa palmeira pode ser aproveitado (folhas, caule, fibras), o nordestino denominou-a "árvore da providência".
Na Mata dos Cocais, as altas temperaturas são constantes. As pastagens representam o principal impacto ambiental nesse ecossistema.

Campos sulinos

São formações vegetais em que predomina a vegetação herbácea (de gramíneas). Ocorrem principalmente em áreas planas, de clima subtropical (com estações bem definidas). As árvores e os arbustos são raros, espaçados e isolados entre as gramíneas. Sua fauna apresenta pequena variedade, com alguns tipos de roedores.
Os campos estão diretamente ligados à agropecuária (cereais e criação de gado). As queimadas, a desertificação e a agropecuária são os principais impactos ambientais que ocorrem nesse ecossistema.

Ecossistemas costeiros

Duas formações vegetais caracterizam esses ecossistemas: os manguezais e a vegetação das dunas e praias.

Manguezais


Os manguezais são típicos das áreas litorâneas de regiões tropicais. No Brasil, abrangem trechos do litoral que se estende desde Santa Catarina até o Amapá (região Norte). Esse ecossistema apresenta características muito especiais; se, por um lado, não possui grande variedade de vegetais, por outro é considerado um viveiro de animais, graças à grande quantidade de matéria orgânica nele existente. Aí vivem peixes, crustáceos, aves e invertebrados. Como estão localizados no ponto de encontro das águas dos rios com o mar, possuem solos salinos e vegetais halófilos e higrófilos. Na maioria dos mangues, as raízes das plantas estão fora da terra para que | respirem o ar atmosférico. Essas raízes aéreas ï. são denominadas pneumatóforos.
Podemos distinguir três tipos de mangue, cada um caracterizado por uma espécie vegetal: o mangue-vermelho, o mangue-prelo e o mangue-branco. É um dos ecossistemas brasileiros mais devastados e ameaçados pela intensa urbanização e industrialização. Certos bairros de cidades litorâneas brasileiras foram construídos sobre áreas de manguezais.

Vegetação das dunas e praias

Vegetação herbácea (gramíneas) e arbustiva (poucas árvores e espaçadas) desenvolve-se em solo haiófilo (salgado) e arenoso. O capim-da-praia, o capim-da-areia e a salsa-da-praia são algumas das espécies vegetais desse ecossistema que também está sendo destruído pelo excessivo crescimento urbano e pelo turismo desordenado.

11 comentários:

  1. Ddddddddooooooooooiiiiiiiiiiiiiiiiiiddddddddddãããããããõooooooooooooooo


    Muuuuuuuuuuuuiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiittttttttttttoooooooooooooooo eeeeeeeeeemmmmmmmmmmmmmmooooooooooo

    ResponderExcluir
  2. boom , boom , boooooom não tá , mais ta bom , ta boom ..

    ResponderExcluir
  3. me ajudou bastante.RECOMWNDO!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. Ñ GOSTEI MUITO Ñ

    ResponderExcluir
  5. YANDRA MG MUITO LEGAL!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. não achei do meio norte!!!

    ResponderExcluir
  7. gostei muito,meu trabalho ficou nota 10!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir

Fique a vontade para comentar. Você tem o direito de gostar ou não e de concordar ou não com nossas postagens, por isso antes de escrever palavrões tenha atitudes mais inteligentes: procure outro blog, faça um se és capaz ou vai tratar das tuas frustrações.