sábado, 3 de abril de 2010

A Hidrografia Brasileira 2

O Brasil, em conseqüência das condições climáticas, apresenta uma hidrografia bastante rica, com rios caudalosos e de elevado potencial hidráulico.
1. As Grandes Bacias Hidrográficas
O Brasil apresenta cinco grandes bacias hidrográficas, conforme pode ser observado no mapa abaixo.

GRANDES BACIAS HIDROGRÁFICAS

BACIAS HIDROGRÁFICAS SUPERFÍCIES PORCENTAGEM EM RELAÇÃO À ÁREA DO PAÍS
Amazônica 4.787.717 56,25
Platina 1.415.245 19,97
São Francisco 631.133 7,41
Secundárias
Nordeste 844.310 10,40
Leste 569.310 6,69
Sudeste 223.688 2,63


Bacias Hidrográficas

Bacia Amazônica

A bacia hidrográfica amazônica, maior do mundo, ultrapassa os limites do nosso país. O rio principal (Amazonas/Solimões) é um típico rio de planície, favorecendo o transporte na região. Essa bacia possui o maior potencial hidráulico do país, concentrado nos afluentes do Amazonas, principalmente os rios da margem direita.

Bacia Platina

A bacia platina é formada pelos rios Paraná (rio principal), Paraguai e Uruguai, que nascem em território brasileiro e se encontram fora do país.
O rio Paraná e seus afluentes, são típicos rios de planaltos, possuindo um grande número de cachoeiras, quedas, corredeiras, etc. Essa bacia apresenta o segundo maior potencial energético do país (após a bacia amazônica) e destaca-se como principal produtora de energia, possuindo o maior número de usinas em funcionamento (maior potencial instalado).
O rio Paraguai, típico rio de planície, atravessa o pantanal mato-grossense favorecendo a navegação nessa área.

Bacia do São Francisco

O rio principal, São Francisco, nasce em Minas Gerais, cortando áreas de matas, cerrados e caatingas.
Trata-se de uma bacia aproveitada para a navegação (importante no passado), produção de energia e irrigação da agricultura. Destaca-se como principal produtor de energia elétrica da região nordeste.

As Bacias Secundárias

Correspondem às demais bacias hidrográficas com importâncias restritas e não pertencentes às Bacias Isoladas.
Os principais agrupamentos de Bacias Secundárias são os seguintes:
Amapá - rios Oiapoque, Caciporé e Araguari.
Meio-Norte (Nordeste ocidental) - rio Parnaíba (mais importante) e rios Pindoré, Itapicuru, Mearim.
Nordeste - rio Jaguaribe (CE), Apodi (RN) e rio Capibaribe (PE).
Leste - rio Pardo, rio Doce, rio das Contas, rio Paraíba do Sul.
Sul - rio Itajaí, rio Tubarão, rio Jacuí.

2. O Potencial Energético dos Rios

Os rios brasileiros, além de apresentarem grande volume d'água, correm em grande parte sobre planaltos, o que lhes confere um dos mais elevados potenciais hidráulicos do planeta. Favorecem ainda a navegação, a pesca, a irrigação na agricultura, o abastecimento urbano de água, etc.
As bacias hidrográficas de maior potencial energético são: 1º Amazônica; 2º Paranaica; 3º São Francisco.

PRINCIPAIS USINAS HIDRELÉTRICAS

Paulo Afonso
Sobradinho
Moxotó
Três Marias ( MG )
Jupiá
Ilha Solteira
Itaipu
(maior potência)
Água Vermelha
Volta Grande
Peixoto Grande
Barra Bonita
Bariri
Promissão
Ibitinga
Jurumirim
Avanhandava

3. A Poluição das Águas (dos Rios e Lagos)

A poluição dos rios e lagos tem como principais agentes poluidores: esgotos (residenciais e industriais), agrotóxicos, chuvas ácidas e químicas, mercúrio, petróleo, materiais sintéticos não-biodegradáveis, etc.
O rio Tietê, por exemplo, transformou-se numa verdadeira cloaca industrial e urbana. Atualmente existe um trabalho de despoluição dessa artéria fluvial em andamento, com resultados ainda insignificantes. Outros rios brasileiros seriamente comprometidos são: Jacuí - Guaíba (RS), Paraíba do Sul, Cubatão, Piracicaba, Pardo, Mogi-Guaçu (SP), São Francisco, etc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique a vontade para comentar. Você tem o direito de gostar ou não e de concordar ou não com nossas postagens, por isso antes de escrever palavrões tenha atitudes mais inteligentes: procure outro blog, faça um se és capaz ou vai tratar das tuas frustrações.