sábado, 3 de abril de 2010

O Comércio Exterior Brasileiro

Com frequência, os jornais publicam matérias sobre o déficit ou o superavit da balança comercial brasileira. E muitas pessoas têm dificuldade em compreender o que isso significa. Os termos déficit, superavit, balança comercial fazem parte de uma área de conhecimento específico.

Balança comercial

Por balança comercial compreendemos a relação entre o que um país exporta e o que ele importa. Quando o total das exportações é superior ao total das importações, o saldo é positivo. Dizemos, então, que há um superavit comercial. Quando as importações superam as exportações, o saldo é negativo. Nesse caso ocorre um déficit comercial. Portanto, a balança comercial favorável (saldo positivo) ou desfavorável (saldo negativo) indicará a diferença entre as exportações e as importações de uma nação.

De colônia a país subdesenvolvido Industrializado

As características do comércio exterior brasileiro acompanharam as mudanças da participação do nosso país na Divisão Internacional do Trabalho (DIT).A principio, como colônia (1500-1822), e depois como país subdesenvolvido, os principais itens da nossa pauta áe exportações foram produtos primários (açúcar, ouro, café). Com o início do processo de industrialização em 1930, além dos produtos do setor primário, o Brasil passou a exportar também produtos do setor secundário, Do mesmo modo, excluiu de sua lista de bens importados muitos produtos que começou a industrializar.
De 1930 até hoje, a política do governo brasileiro com relação ao comércio exterior teve dois períodos distintos:
- 1930-1990-substituição de importações;
- 1990-2001 - liberalização das importações.

Substituição de importações

Como já vimos, o Brasil industrializou-se adotando o modelo que consiste em fabricarmos próprio país o que antes importava.
A política marcante desse período foi o protecionismo, isto é, taxar produtos importados para que não competissem com os bens produzidos pela indústria nacional. Por outro lado, essa política favorecia a balança comercial, reduzindo as importações.

Liberalização de importações

Em 1990, o governo brasileiro introduziu um programa de liberalização financeira externa e de eliminação das barreiras protecionistas na importação, cujos principais pontos foram:
- abolir barreiras não tarifárias, como reserva de mercado, cotas e proibições;
- reduzir a média das tarifas de exportação.

A balança comercial brasileira

Desde 1995 a balança comercial do Brasil apresenta saldo negativo, isto é, o valor das importações tem excedido o das exportações.
O Plano Real, criado em 1994, valorizou a moeda nacional (o real} e facilitou a entrada de produtos estrangeiros mais competitivos que os nossos, por serem mais baratos e, muitas vezes, por representarem "o novo" em relação aos já conhecidos produtos nacionais.
Outros fatores desse déficit comercial são chamados genericamente de "custo Brasil", Entre esses fatores podemos citar: as altas taxas de juros em vigor no Brasil (muito maiores que as cobradas nos mercados internacionais, o que inibe investimentos produtivos); a defasagem tecnológica de nossas indústrias (fator que diminui a competitividade); infra-estrutura ferroviária, rodoviária e portuária pouco integrada, insuficiente e cara; elevados gastos com a importação de petróleo e seus derivados.
Entre os produtos exportados pelo Brasil em 2000, destacam-se aviões, minério de ferro, soja (em grão e farelo), veículos de passeio e aparelhos transmissores e receptores. Nas importações, os principais itens foram: petróleo bruto, aparelhos transmissores e receptores, derivados do petróleo, circuitos integrados e micro-conjuntos eletrônicos, peças e partes para automóveis e tratores e aparelhos elétricos para telefonia.
As empresas que mais exportaram em 2000 foram a Embraer, a Companhia Vale do Rio Doce, a Petrobras e a Volkswagen do Brasil. As que mais importaram foram a Petrobras, a Embraer, a Motorola a Ericsson Telecomunicações.
As regiões Sudeste e Sul, por serem as mais industrializadas, são as que respondem pelas principais áreas exportadoras do país.

O Brasil no comércio mundial

Já vimos que o comércio mundial é realizado em dois níveis: entre países e em blocos econômicos. Além de fazer parte do Mercosul, da Aladi e do Projeto da Alça, o Brasil realiza trocas comerciais com outros blocos econômicos e com vários países do mundo.
Depois do Mercosul, a União Européia destaca-se entre os blocos econômicos que mantêm relações comerciais com o Brasil.

O Brasil e o Mercosul

Apesar dos problemas causados pela crise econômica argentina, as trocas comerciais no interior do Mercosul são fundamentais para a balança comercial brasileira.

Os "corredores" de exportação e os principais portos brasileiros

Para organizar o embarque de produtos nos portos marítimos do país. o governo criou, na década de 1970, os "corredores" de exportação: eixos que reúnem condições de transporte de cargas por ferrovias, rodovias (meio mais comum) ou hidrovias, de armazenamento (em silos ou contêineres) e sistema portuário. Nossos principais portos marítimos estão localizados nesses "corredores".
O principal porto brasileiro é o de Santos (São Paulo), com mais de 11 quilômetros de cais acostável. Em 1997, este porto recebeu 3.700 embarcações, o que representa cerca de 20% de todo o movimento portuário nacional. No mesmo ano, embarcaram e desembarcaram quase 11 milhões de toneladas de carga geral e 27 milhões de toneladas de granéis. Outros portos que se destacam são: Rio Grande (Rio Grande do Sul) e Paranaguá (Paraná), principalmente pela movimentação de grãos; Sepetiba (Rio de Janeiro), Tubarão (Espírito Santo) e Itaqui (Maranhão), enormes terminais especializados em minério; e os portos do Rio de Janeiro, Itajaí (Santa Catarina), Recife (Pernambuco) e outros dedicados à carga geral, contêineres e granéis.
Dos 24 principais portos brasileiros, apenas um é privado, o de Imbituba, no estado de Santa Catarina. As instalações portuárias não são compatíveis com o nível de desenvolvimento da economia, nem com as necessidades do comércio exterior. Os portos são mal-equipados, sem a necessária dragagem e, até pouco tempo, regidos por leis antiquadas que não atendiam às atuais necessidades. Um corporativismo dos portuários, protegido por setores governamentais, encarece enormemente a movimentação de cargas nos portos brasileiros.

6 comentários:

  1. vcs poderiam fala mais expecificamente sobre algumas da mais importantes das exportaçoes por exempolo Cana de açucar soja cafe e etc....
    mas o site éh otimo me ajudou muito nos trabalho da escola obrigado pelas informaçoes.....

    ResponderExcluir
  2. Muito bom vcs dao as informaçoes da maneira como precisamos saber...


    Parabensss....

    ResponderExcluir
  3. muito bom, so precisa falar mais sobre as importaçoees e exportaçoes que sao a base do comercio brasileiro

    parabenss

    ResponderExcluir
  4. muito bom o site mas so precisa acrescentar:localozação;principais produtos exportados e importados;origem de destino dos principais produdos inportados e importados.
    mas esse site me ajudou a aprender mais sobre nosso pais

    parabeeeeensssss!!!!!!

    ResponderExcluir
  5. ops
    errei
    e exportados
    desculpa.

    ResponderExcluir
  6. do ponto de vista do importador brasileiro, qual seria o porto mais facil para receber mercadorias e desembaraca-las///

    ResponderExcluir

Fique a vontade para comentar. Você tem o direito de gostar ou não e de concordar ou não com nossas postagens, por isso antes de escrever palavrões tenha atitudes mais inteligentes: procure outro blog, faça um se és capaz ou vai tratar das tuas frustrações.