sábado, 3 de abril de 2010

O Espaço Agropecuário Brasileiro

Agricultura no Brasil: uma visão geral

Observamos hoje, a transição do modelo econômico do pais de agroexportador para subdesenvolvido industrializado. Conforme a indústria se tornava o eixo principal da economia brasileira processo consolidado na década de 1950, quando a economia do pais era cada vez mais controlada pelas transnacionais, a agricultura ficava mais dependente e subordinada à indústria e aos interesses econômicos de grupos brasileiros e internacionais, Podemos afirmar que a agricultura brasileira atual apresenta as seguintes características:
- Predomínio da agricultura extensiva. Exploração de grandes extensões de terra, concentradas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. O uso reduzido de capital, máquinas, adubos e fertilizantes gera baixa produtividade agrícola.
- Subutilização do espaço agrícola. Menos de 10% do espaço geográfico brasileiro é aproveitado economicamente no cultivo de lavouras-permanentes (que durante muitos anos oferecem várias colheitas), como as de café e banana, e de lavouras temporárias (que oferecem uma única safra e por isso são cultivadas anualmente), como as de milho e cana-de-açúcar.
Predominância da produção de gêneros agrícolas destinados à exportação, com prejuízo dos produtos alimentícios.
Como você pode observar, nossos principais produtos agrícolas para exportação são a soja, a cana-de-açúcar e a laranja. Essas lavouras ocupam nossos mais férteis solos cultiváveis, são dotadas das mais modernas máquinas do setor e beneficiadas por avançados estudos no campo biotecnológico.
Entretanto o lucro gerado pela exportação desses gêneros não é revertido para o setor. Ajuda a pagar a divida externa e a comprar bens manufaturados de tecnologia de ponta para o nosso parque industrial.
Na tabela de gêneros para o mercado interno destacam-se o feijão, a mandioca e o algodão, Além desses, cultivam-se arroz, batata, cebola e milho. Nessas culturas, que ocupam muitas vezes terras de pior qualidade, não há aplicação de técnicas sofisticadas, como nas lavouras de exportação.

Industrialização da agricultura

No Centro-Sul do Brasil, grande parcela das lavouras está inserida no processo da industrialização da agricultura, em que todas as etapas da produção (o que, quando e quanto produzir, o tamanho da área a ser cultivada, etc.) são controladas pela indústria. Portanto, o meio urbano controla o rural. Nesse processo que subordina o campo à cidade, a presença de grupos internacionais é marcante. Podemos citar como exemplos a Nestlé (alimentos), a Agroceres (sementes) e a Massey Fergusson (tratores e máquinas).

Principais regiões e produtos agrícolas brasileiros Região Sudeste

Os estados do Sudeste concentram as áreas agrícolas mais modernas, mais produtivas, competitivas e mecanizadas do Brasil. Nessa região estão os três principais produtores de café e o primeiro produtor de cana-de-açúcar do país.
Na região destacam-se também os cultivos de laranja, algodão e soja.
Das onze áreas agrícolas do Sudeste, sem dúvida o Planalto Ocidental Paulista é a mais significativa quanto ao volume de produção, à diversificação de produtos e ao uso de mecanização e tecnologia sofisticadas na agricultura. Vários fatores podem explicar essa situação. Entre eles podemos citar:
- Fatores naturais, como relevo suave e manchas de solo fértil da terra roxa.
- As riquezas e as condições trazidas pelo café, como a vinda de imigrantes, a construção de estradas de ferro e instalações portuárias.
- O desenvolvimento industrial, que aumentou a demanda de matérias-primas agrícolas.
- O crescimento urbano, que favoreceu a formação de um mercado de consumo.
Os principais produtos agrícolas cultivados nessa região são: cana-de-açúcar, café, laranja, algodão e soja. Até pouco tempo, a cana-de-açúcar vinha alimentando uma importante agroindústria açucareira e de álcool etílico. Ultimamente, em razão do declínio do Programa Nacional do Álcool (Proalcool) e da concorrência da produção de açúcar no merca do mundial, o cultivo de outros produtos vem substituindo grandes áreas de plantação de cana-de-açúcar.
As outras regiões agrícolas do Sudeste não são tão progressistas quanto o Planalto Ocidental Paulista. Quase todas são especializadas no cultivo de algum produto.

Regiões Norte e Centro-Oeste

São chamadas de fronteiras agrícolas porque foram as últimas a ser ocupadas por essa atividade.

Região Centro-Oeste

A agroindústria é a principal atividade econômica do Centro-Oeste. E a região brasileira que mais produz soja, algodão cm pluma, sorgo e girassol. Ocupa o segundo lugar na produção de arroz e o terceiro na produção de milho do país.

Principais áreas agrícolas dessa região:
- Região de Campo Grande e Dourados (MS). Predominam os cultivos de soja, milho e trigo.
- Vale do Paranaíba (GO). Destacam-se os municípios de Iluminara e Coiatuba, onde são cultivados arroz, algodão e amendoim.

Região Norte

E a que tem a menor participação na produção agrícola do país. O principal destaque é o cultivo de abacaxi, no Pará (segundo produtor nacional). Em seguida, vêm a pimenta-do-reino, a malva (planta cujas folhas têm propriedades medicinais) e a juta. Em Rondônia, frentes pioneiras constituídas de imigrantes sulinos introduziram o cultivo da soja, obtendo bons resultados.

Região Sul

Única região brasileira situada em zona de clima subtropical, apresenta diferentes características naturais e econômicas. E a região que mais produz soja, alho, maçã e cebola. Modernas técnicas agrícolas garantem elevada produtividade de trigo, tabaco, milho, arroz e feijão.
Os estados do Paraná e do Rio Grande do Sul concentram a maior parte das atividades agrícolas dessa região. Segundo maior produtor nacional de soja, o Paraná também é grande produtor de café, milho, trigo e algodão. O Rio Grande do Sul é o maior produtor nacional de grãos, como a soja (1a), milho (2a), trigo (2a), arroz (1a) e feijão (Ia). Santa Catarina destaca-se como o terceiro maior produtor de trigo.

Região Nordeste

O Nordeste tem na agricultura a sua principal atividade econômica, que apresenta características diversas nas suas sub-regiões.

A pecuária no Brasil

Mesmo possuindo o segundo maior rebanho bovino do mundo, com 163 milhões de cabeças, a pecuária no Brasil tem pequeno peso na economia. Na maior parte do país, predomina a pecuária extensiva, ou seja, o gado é criado solto no pasto, sem maiores cuidados, como o aprimoramento de raças, a aplicação de vacinas, etc. De modo geral, a pecuária brasileira apresenta baixa rentabilidade, baixa qualidade de grande parte de seus rebanhos e baixa fertilidade por causa da desnutrição e da alta incidência de moléstias. Em agosto de 2000 e em maio de 2001, focos de febre aftosa (doença contagiosa) no gado do Rio Grande do Sul causaram um sério problema para o Brasil, pois esse estado é um grande exportador de carne bovina.

Principais áreas ele criação

As regiões Sudeste e Sul empregam as técnicas mais avançadas na criação de gado e por isso obtêm a mais alta produtividade.
O Sudeste destaca-se nos rebanhos de gado leiteiro e equino (Iª), na avicultura (1ª), nos rebanhos bufalino (2ª), muar (2ª) e suíno (3ª).
Minas Gerais ocupa importante posição: é o maior produtor de leite, possui o segundo maior rebanho bovino e é o quarto maior produtor de carne do país.
São Paulo está entre os maiores produtores nacionais de aves, ovos e leite, Possui um grande rebanho bovino.
No Sul o setor pecuário está atrelado às indústrias alimentícia e de calçados. O Paraná destaca-se na avicultura e na criação de suínos e de gado bovino de corte. No oeste de Santa Catarina encontram-se grandes abatedouros e frigoríficos, como os grupos Sadia e Perdigão instalados em Concórdia. Nesse estado merecem destaque o rebanho suíno e a avicultura. O Rio Grande do Sul apresenta um importante setor pecuário: rebanho ovino (1ª), suíno (3a} e bovino (5ª). A região Sul possui o maior rebanho de suínos, o segundo maior número de aves e é o terceiro criador de equinos.
O Centro-Oeste possui o maior rebanho bovino do pais, concentrado no estado de Mato Grosso do Sul. Porém, nessa região, principalmente no Pantanal, pratica-se uma pecuária extensiva de baixa qualidade. Nos estados de Goiás e Mato Grosso, áreas de cerrado são aproveitadas como pastagem natural para o gado.
O Nordeste, sobretudo o estado da Bahia, possui maior rebanho de cabras do Brasil, do qual se extraem leite, carne e couro. Tem o maior rebanho de asininos (jumentos) do país e é o segundo criador de equinos.
O Norte destaca-se na criação de búfalos; o Pará é o maior criador nacional e a maior concentração desse rebanho está na ilha de Marajó.

11 comentários:

  1. eu achei muito interesante já que varios sites não tem as coisas que as pessoas reaumente procura

    ResponderExcluir
  2. que brilha muito no corinthians

    ResponderExcluir
  3. Muito interressante o site, mas vc precisa colokar o mapa das terras improdutivaas no brasil, pq é o q esta faltando

    ResponderExcluir
  4. Me ajudou bastante....."reaumente" que nem diz o outro......

    ResponderExcluir
  5. voce poderia colocar os estados brasileiros que mais produzem algodao ?!

    ResponderExcluir
  6. gostei muito tem tudo o que preciso

    ResponderExcluir
  7. Meu..Se naum ta bom vai procurar no google e ache coisa pior..
    Tá ótimo!

    Neem ligue pra esse povoo de pura ingratidão
    Um abraço
    Eloyza Martin" >.<

    ResponderExcluir
  8. vao toma banho, nao gostei.
    mas parabens pelo esforço

    ResponderExcluir

Fique a vontade para comentar. Você tem o direito de gostar ou não e de concordar ou não com nossas postagens, por isso antes de escrever palavrões tenha atitudes mais inteligentes: procure outro blog, faça um se és capaz ou vai tratar das tuas frustrações.