sábado, 3 de abril de 2010

Os Transportes no Brasil

Existe o predomínio absoluto da utilização das rodovias no Brasil.
A supremacia do transporte rodoviário sobre os demais meios de transporte no Brasil pode ser explicada fundamentalmente:
- Pela não utilização de ferrovias durante o processo de ocupação do território brasileiro, ao contrário do que ocorreu em outros países de dimensões continentais, como Canadá, Estados Unidos e Rússia.
- Pela prioridade dada pelo governo Juscelino Kubitschek (1956-1960) ao transporte rodoviário e à construção de rodovias, fatos que coincidiram com os interesses das empresas transnacionais que nesse período instalaram as primeiras montadoras de veículos no país.
Os transportes compõem um dos itens do setor terciário da economia, que, segundo o lBGE, teve participação de 58,88% no PiB total brasileiro em 2000. Apenas o setor de transportes, conforme estimativa da Confederação Nacional do Transporte (CNT), produziu, em 1998, 50,4 bilhões de dólares, o equivalente a 6,5% do PIB. Além disso, esse setor também reflete as desigualdades socioeconômicas do país. Assim, existe maior concentração de ferrovias, aeroportos, portos, metros e rodovias no Centro Sul, consequência da concentração urbano-industrial.
Neste capítulo vamos ver as características dos principais tipos de transporte utilizados no Brasil.

HISTÓRICO DOS TRANSPORTES NO BRASIL TRANSPORTES NO BRASIL

Transporte rodoviário. Nossa primeira estrada de rodagem foi a União e Indústria, construída em 1861 por Mariano Procópio Ferreira Lage. Ligava Petrópolis e Três Rios, no Rio de Janeiro, a Juiz de Fora, em Minas Gerais.
Transporte ferroviário. Em 1854 foi inaugurada a Estrada de Ferro Petrópolis ou Estrada de Ferro Mauá, no Rio de Janeiro. Ela foi balizada de "Baronesa" em homenagem à esposa do Barão de Mauá, seu construtor.
Transporte aéreo. A Viação Aérea Rio Grandense (Varig), fundada em 7 de maio de 1927 por um ex-piloto de combate alemão, Otto Emest Meyer, foi a primeira companhia aérea comercial a operar no Brasil.
Transporte metroviário. Em 1974 entrou em operação, em São Paulo, a primeira linha de metro brasileira: a linha norte-sul, que operava inicialmente no trecho Jabaquara-Vila Mariana. Hoje essa linha metroviária liga os bairros paulistanos Tucuruvi (zona norte)-Jabaquara [zona sul).

O transporte rodoviário

Frota de veículos Segundo a Geipot (Empresa Brasileira de Planejamento de Transportes), estimativas de 1999 apontavam para uma frota de 31 941 318 veículos (de passeio, coletivos, de carga, biciclos e triciclos). Considerando somente os auto-veículos,ou seja, excluindo os biciclos e triciclos, a estimativa foi de 18 685 000 unidades.
As rodovias brasileiras estão divididas em federais, estaduais e municipais.

O transporte metroviário

Poderia ser uma solução para os problemas de trânsito nas grandes cidades brasileiras. No entanto, serviu apenas 0,6% do total de passageiros dessas cidades, em 1998. Além disso, somente São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília (onde o metrô foi re-inaugurado em março de 2001) dispõem desse tipo de transporte no Brasil.

O transporte ferroviário

Constituído de trens antigos e de baixa velocidade, o transporte ferroviário integra poucas áreas do país, pois essa nunca foi sua prioridade. Quando instaladas, as ferrovias dirigiam-se aos portos onde eram embarcados produtos para exportação, como o café.
A malha ferroviária de aproximadamente 30 000 km de extensão transportou, em 1998, apenas 0,8% dos passageiros e menos de 20% das cargas em circulação no país. Trens confortáveis, seguros e menos poluentes, como, por exemplo, os modernos trens de fabricação espanhola que circulam na área metropolitana • O transporte aquaviário
Compreende todo tipo de transporte que utiliza recursos hídricos (mares, rios e lagos). No Brasil, são utilizados os transportes marítimo e Huvial. Apesar de o litoral brasileiro ser um dos mais extensos do mundo (7 367 km), o transporte marítimo é pouco utilizado em nosso pais, tanto para passageiros como para carga.
Segundo a Geipot, o transporte aquaviário representou apenas 12,8% do transporte de cargas em 1998. Os principais portos brasileiros estão concentrados no Sudeste (13), no Nordeste (13) e no Sul (10), O número bem menor de portos no Centro Oeste (2) e no Norte (2) reflete a menor concentração industrial e populacional nessas regiões.

O transporte marítimo

A frota marítima brasileira tem menos de 200 navios: pouco mais de 100 navios são de cabotagem (utilizados para a navegação entre os portos brasileiros) e cerca de 50 são de longo curso. Os portos de Santos (SP), Vitória e Tubarão (ES) e Rio de Janeiro (RJ) são os mais movimentados do país.

O transporte fluvial

A navegação fluvial (por rios) consome cinco vezes menos energia que o transporte rodoviário e três vezes menos que o ferroviário. Além de ser mais barata, é menos poluente e menos nociva ao meio ambiente que os meios de transporte já citados.
Mesmo com tantos rios navegáveis, essa via de transporte é pouco usada no Brasil. Isso acontece porque os rios navegáveis não atravessam as mais expressivas regiões econômicas do país. Nessas regiões, rios de planalto exigem obras caras e causadoras de impactos ambientais, para que possam ser aproveitados.

2 comentários:

Fique a vontade para comentar. Você tem o direito de gostar ou não e de concordar ou não com nossas postagens, por isso antes de escrever palavrões tenha atitudes mais inteligentes: procure outro blog, faça um se és capaz ou vai tratar das tuas frustrações.