sábado, 2 de junho de 2012

Chapadas Brasileiras

A natureza e as formações rochosas são os principais atrativos para quem visita alguma das nossas chapadas. O relevo, tão característico nessas regiões, é considerado um dos mais antigos de todo o país e foi originado de abalos sísmicos ocorridos há mais de 500 milhões de anos atrás. Depois, foram recobertos por gelo, viraram fundo de mares antigos e finalmente, com a ajuda das chuvas e ventos, foram esculpidos até chegarem na forma atual. CHAPADA DIAMANTINA - BA A Chapada da Diamantina situa-se no interior da Bahia, a cerca de 400 quilômetros de Salvador. Para quem sai da capital, a forma mais fácil de acessá-la é através da rodovia BR-242 que não é tão bem conservada. Quem preferir, e a maioria dos pacotes de viagem fazem dessa forma, pode pegar um avião com destino a Lençóis, cidade vizinha à Chapada, onde se localiza o terceiro maior aeroporto da Bahia. Com a intenção de se preservar os recursos naturais encontrados nessa região com mais de 152 mil hectares, foi criado em 1985, o Parque Nacional da Chapada da Diamantina, atualmente administrado pelo IBAMA. A intenção do Parque é mais fiscalizadora, assim, não dispõe de sede ou um centro de visitantes, já que suas principais atrações estão em propriedades particulares. Para desfrutar de um passeio sem grandes imprevistos, a melhor opção é procurar um pacote completo de agências ou contratar os serviços de um dos guias da Associação dos Guias da Chapada da Diamantina. Você pode encontrar tudo isso em Lençóis que tem a maior rede hoteleira da região e um bom número de agências e guias para os passeios. Bem perto de Lençóis,com uma caminhada de 3,5 quilômetros você vai chegar ao Serrano que abriga várias piscinas naturais formadas por suas corredeiras que lembram banheiras de hidromassagem. Aproveite para conhecer o Salão de Areia ali bem perto, local onde alguns artesãos retiram areia colorida para a confecção daquelas garrafinhas com desenhos ou paisagens. Seguindo em frente, você vai encontrar a Cachoeira da Primavera, onde é possível tomar banhos deliciosos, assim como suas vizinhas Cachoeirinha e Poço Halley que se caracteriza por suas águas cor de cobre. Para não sair sem conhecer as grutas, procure o Lapão, a 4 quilômetros de Lençóis, já a gruta da Pratinha e a Gruta Azul são mais distantes - 76 quilômetros - e precisam de carro. Mas sem dúvida alguma, a mais impressionante de todas é a gruta do Poço Encantado, com uma galeria de 155 metros de diâmetro e um lago de 60 metros de profundidade. Durante o período de maio a junho, um feixe de luz entra por uma fenda da gruta e reflete o azul forte das águas, além de virar uma lupa, já que qualquer objeto afundado no poço, fica ampliado. Essa atração pode ser conhecida através do município de Itaeté, a 150 quilômetros de Lençóis. O Vale do Paty é uma região bem selvagem com muitas cachoeiras e uma natureza muito bem conservada. Perto dali, também está a pitoresca Xique-Xique do Igatu, vilarejo que já teve alguns milhares de habitantes no auge do garimpo e que guarda construções totalmente em pedra, hoje apenas ruínas daquela época áurea. A cidade de Lençóis também surgiu no Ciclo do Diamante, assim, guarda um conjunto de casinhas da época colonial e várias outras construções do século XVII. Separe algumas horas, já que você vai se hospedar lá, para caminhar por suas ruas e descobrir detalhes de outros tempos, entre sua pequena população, ainda restam alguns ex-mineradores que adoram contar histórias do passado. CHAPADA DOS GUIMARÃES - MT Estando localizada bem no Centro Geodésico da América no Sul - centro do Continente - a Chapada dos Guimarães fica a 74 quilômetros de Cuiabá, cujo acesso é feito pela rodovia MT-251, asfaltada e bem conservada, mas com muitas curvas perigosas e um longo trecho só de serra. Chapada dos Guimarães, nome dado em homenagem à cidade de Guimarães em Portugal. Localizado a 810 metros de altitude, o município apresenta um clima aconchegante de montanha, além de guardar algumas construções da época colonial, como a Igreja de Nossa Senhora de Santana, construída no século XVII. As principais atrações encontradas na região fazem parte do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, criado em 1989 abrangendo uma região de 33 mil hectares, cuidados pelo IBAMA. O Parque dispõe de um bom serviço oferecido pela na sua sede administrativa. Guias, lojinhas e Centro de Turistas são alguns exemplos do que você pode encontrar. Um bom ponto de partida para suas visitas é a cachoeira Véu de Noiva, formada pelo rio Coxipó, com quase 90 metros de queda livre e localizado em um vale cercado por uma densa vegetação. Se você quer conhecer mais cachoeiras, siga a trilha em direção às cascatas do Rio Sete de Setembro. Lá estarão à sua espera 7 cachoeiras que disputam o título de a mais bela. O Morro do São Jerônimo, ponto mais alto do parque a 835 metros. Com certeza vai valer a pena, além da paisagem, você poderá visitar a maior caverna de arenito do Brasil, com aproximadamente 1400 metros de comprimento, a Caverna Aroe Jarí - morada das almas na língua indígena. Em seu interior existem várias cachoeiras, além de uma piscina natural de águas cristalinas, conhecida como Lagoa Azul. Se você gosta de uma atmosfera de mistério, visite o Mirante Geodésico, local exato eqüidistante entre os oceanos Atlântico e Pacífico, além de oferecer um visual maravilhoso, dizem os esotéricos que ali se encontra um "corredor eletromagnético" que permite aos mais evoluídos, manter contato com seres de outras dimensões. As histórias são meio malucas, mas numa coisa temos que concordar, o visual encontrado na Chapada dos Guimarães é mesmo coisa de outro mundo. CHAPADA DOS VEADEIROS - GO Localizado a 240 quilômetros de Brasília, a Chapada dos Veadeiros está numa região repleta de cristais de quartzo puro, que vistas do alto, formam uma imagem que lembra o número nove, de grande vibração para os místicos. Crenças à parte, o que qualquer um facilmente nota é a grande beleza dessa região que fica a 420 quilômetros de Goiânia pela GO-118 e 230 de Brasília pela BR-020, ambas em bom estado de conservação. Quem busca conhecer a Chapada, também protegida pelo Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros criado em 1960, geralmente se hospeda na esotérica cidade de Alto Paraíso, antes terra de garimpeiros, hoje portão de entrada para o Parque, e por isso lotada de pousadas com odores de incenso e música new age. A cidade não é a única vizinha da Chapada, mas com certeza é a que tem melhor estrutura para os turistas. Lá é possível até escolher o perfil do guia que melhor lhe convier: homem, mulher, de carro ou sem, falador ou mais reservado e por aí vai. Água é o que não falta na Chapada, acredita-se que a região seja um dos maiores mananciais do planeta, e tudo isso reunido a campos a perder de vista, elevações com formas que lembram bichos ou partes do corpo humano e cânions cercados pela mata de cerrado, realmente fica impossível não cair no clima zen da exótica Chapada. Deixando o papo-cabeça de lado, vamos aos passeios. Saindo de Alto Paraíso, em menos de uma hora ou 40 quilômetros de caminhada, chega-se até uma atração imperdível, a Cachoeira do Rio Preto com suas duas quedas, uma com cerca de 120 metros de altura e outra com 80. É só quando se chega na cachoeira que se tem a certeza de ter valido a pena ter subido sua trilha de acesso bastante íngreme. Essa mesma trilha leva até a garganta de pedra conhecida como Cachoeira Carioquinha, lá geralmente os turistas passam o dia todo, pegando uma corzinha nos dias de sol intenso. Outro passeio super-interessante é o caminho que vai até o Vale da Lua. A exótica região é formada por rochas enormes, de 600 milhões de anos que pressionadas pelas águas do Rio São Miguel, ganharam fendas e crateras enormes. O nome é claro, vem da semelhança das pedras da região com o solo da Lua. Além de mini-grutas, você também vai encontrar várias piscinas naturais, nesse passeio que se localiza a 38 quilômetros de Alto Paraíso. Se você está na Chapada, não pode ir embora sem visitar os cânions, caminhando cerca de 10 quilômetros você vai poder visitar os conhecidos Cânion I e Cânion II, grandes paredões de pedra de quartzo onde o visual é deslumbrante, mas é bom se preparar, pois o sol do cerrado às vezes não dá trégua. Nesse caso, aproveite para tomar um banho nas piscinas naturais que você também vai encontrar nesse passeio. Como você viu, as atrações são inúmeras, porém, os outros pólos de visitação só são possíveis de se visitar estando motorizado, já que a distância em relação ao Parque é grande. Mas se você alugar um carro ou contratar um, faça uma visita até a cachoeira Almécegas I e II, ao Morro do Chapéu e ao Morro da Baleia. Procure também na rodovia GO-118, uma atração que recebe o nome de Jardim Zen, lá, alguns esotéricos gostam de fazer rituais exatamente onde uma placa indica a passagem do paralelo 14, o mesmo que corta Machu Pichu. Fonte www.brasilviagem.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique a vontade para comentar. Você tem o direito de gostar ou não e de concordar ou não com nossas postagens, por isso antes de escrever palavrões tenha atitudes mais inteligentes: procure outro blog, faça um se és capaz ou vai tratar das tuas frustrações.